Olhando os trilhos do trem.

Desde que chegamos, dona Toninha estava doida pra andar de trem. Um dia, quando desci para o café da manhã, encontrei-a toda fatiotada.
– ?Hoje vamos andar de trem!? afirmou categórica.

– Ô mãe, e o seu pé? A senhora não está agüentando dar nem alguns passos dentro de casa!

– Mas andar de trem eu posso!

Eu não podia. Além do mais, andar de trem significa ir a algum lugar e andar bastante para dar tempo de ver tudo. E isto tudo ela percebeu na sexta-feira. Fomos à Stuttgart de trem. Enquanto esperávamos a partida ela observava os trilhos

– Ainda bem que eu não tenho medo de nada! Afirmou, pensativa, olhando os trilhos. Tirei uma foto na hora. Esta frase merecia um registro.

dsc07658

Só com alguns pequenos episódios do dia dá pra entender porque.

Esperando o elevador de vidro na Breuninger, uma grande loja de departamentos, ao ver que um cachorro acompanhado de seus donos ia entrar no mesmo elevador que nós:
– Você não tem medo?
– Vamos mãe! e conduzo-a pelo cotovelo elevador a dentro.
Ela, rígida como uma estátua, durante o trajeto inteiro.
Depois: – Se o cachorro desse um faniquito lá dentro, bau, bau as cinco pessoas que estavam lá.

Perto da estação ferroviária em Stuttgart.
– Quer ir de esteira rolante ou prefere descer as escadas comuns?
– Prefiro descer as escadas comuns.
Não esquecer que ficamos duas semanas de molho sem quase poder sair de casa, por que ela não podia dar nem um passo sem sentir dor! Este episódio até se explica: ela caiu em uma esteira rolante em Zurique. Não se machucou mas ficou traumatizada.

À noite, preparando-se para ir para cama, Reiner em Portugal em uma viagem de negócios :
– Você não tem medo de dormir aqui no apartamento sozinha?

Mas hoje em nas Termas de Beuren deu shown de bola. Com bóias nos braços, teve coragem de, por um bom tempo, dar braçadas sozinha pela piscina, até longe do alcance das nossas mãos. Todos a olhavam com um sorriso bobo no rosto: Admiração. Que a piscina que lhe dava pé, nem vem ao caso. Foi corajosa. Ponto.

PS: Comentários fechados em: 28 de junho de 2006 para evitar Spams. Quer fazer um comentário? Escreva-me um e-mail.

Obrigada: rosangela

Comentários

Reiner 13.07.2004 – 11:19

Que foto bonita da moca :-)
Uma mulher corajosa

Manoel Carlos 15.07.2004 – 20:43

Minha mãe completou 87 anos.
É viúva.
Quando meu pai era vivo, sabe-se lá o porquê, minha mãe era muito diferente.
Uma vez, na rodoviária antiga do Recife, tive que descer umaincrível escada em caracol (evidentemente com malas) porque ela não quis descer de escada rolante.
Viajar de avião, nem pensar.
Depois que enviuvou, começou a fazer algumas coisas sozinha e, atualmente, viaja sozinha de avião, anda de escada rolante, etc.
Por tudo isto, bem sei o que você diz quando conta as peripécias de Dona Toninha.
Anúncios