Fomos a Roma e vimos o Papa

A visita laica só ocorreu para aproveitar os espaços de tempo entre as outras visitas. Pois Dona Toninha tinha um objetivo em Roma: ver o Papa. E tanto fez, tanto perguntou que descobriu que o Papa estava passando o verão em Castel Gandolfo, uma pequena cidade perto de Roma. E depois que ela soube disso, não houve como faze-la mudar de idéia. Iríamos a Castel Gandolfo ver o Papa. Ainda encontramos alguns brasileiros que o haviam visto um dia antes. Pronto, estava decidida nossas andanças.

Olhamos igrejas.

dsc07748 dsc07769

O Vaticano e os seus museus.

dsc07777 dsc07790

E fomos (subimos) até Castel Gandolfo e esperamos para ver o Papa.

dsc07876 dsc07834

Esperamos bastante nesta esquina. E vimos o Papa duas vezes: quando se dirigiu a Roma de manhã para uma audiência e quando voltou.

Naquela manhã estávamos lá esperando a passagem do Papa, de pé, ladeadas por 6 padres que vieram do Texas para vê-lo ? tanto quanto nós. De pé, sem arredar passo, olhando o final da rua e seus pequenos movimentos. Um dos padres estava inquieto e impaciente. ?Que aconteça alguma coisa! Alguma coisa!? dizia ele para seu companheiro do lado, rindo. E não acontecia nada. Mais meia hora. Todo mundo lá de pé com os olhos fixos no fim da rua. Começaram a aparecer os guardas com suas motocicletas. Ele começou a assoviar ?Yellow submarine? ? sem parar. E assobiou até que os carros começaram a se movimentar e com eles a guarda motorizada. Sinal definitivo. Agora lá vem o Papa. Agora lá foi o Papa. Foi assim. Na passagem de ida e na passagem volta. Mas vimos o Papa. Bem rapidinho mas vimos.

Fotos do papa? Não temos, nem os nossos amigos do Texas, cada um munido com uma máquina fotográfica. Ele passou de carro com os vidros abaixados. Não deu para fazer nenhuma foto. No final das duas passagens do papa, despedimos-nos dos nossos novos amigos: os seis padres do Texas e de Mike, um outro americano que também estava lá pelo mesmo motivo que nós. Para a Dona Toninha que queria falar com o Papa, que queria tocar o Papa (até o chefe da guarda já sabia disso, devidamente informado por um dos nossos amigos texanos), resta apenas o consolo de ter visto o Papa. Ela queria dizer-lhe que sempre rezou por ele. Que sempre rezou para que ele repartisse a riqueza da igreja católica. E que estava feliz porque ele tinha feito isto. ?Fez?? quis saber, atônita com minha desinformação. ?Fez!? confirmou dona Toninha resoluta, sem dar mais detalhes. Tudo bem, eu aprendi a viver com as surpresas da vida. E os seus mistérios. Posso aceitar uma pequena afirmação categórica como esta e continuar vivendo.

Nos despedimos e fomos embora. Não deu pra tirar foto do Papa mas dos guardas do vaticano na frente do castelo. E do lago lindo que se avista lá de cima.

dsc07864 dsc07869

E fomos embora para as outras vistas. O coliseu, de passagem, as outras igrejas de Roma.

E a viagem a Roma terminou bem. Como foi desde o início.

Em tempo. Sempre me refiro à dona Antônia como dona Toninha, porque eu sempre a chamei assim. E seus vizinhos. E os amigos. E os parentes E os conhecidos. Mas como sempre dei o texto para que ela lesse. ?Tudo bem?? perguntei. ?Posso publicar?? ?Pode.? Depois ficou aqui do lado olhando enquanto carregava as fotos pro site. ?Só uma coisinha. Não tem jeito de você fazer uma ressalva aí que a Dona Toninha de quem você fala é a Antônia?? ?Como assim, mãe? Dona Toninha e dona Antonia são a mesma pessoa.? ?É mas como o Papa vai saber que sou eu quando ele ler isto aqui?? ?Como assim, o Papa? A senhora acha que o papa vai ler o que escrevi aqui?? ?É, porque não? Quem sabe?!…?

Então fica aqui informado que o nome real da Dona Toninha é Antônia. Que nasceu e viveu sua vida toda no Brasil, Minas Gerais, Triângulo Mineiro. Se o Sr. tiver acesso a esta informação, Sr. Papa, por favor, abençoe-a em pensamentos, o que não foi possível ao vivo e em cores. Pena.

por RosangelaE em Impressões de viagem.

Comentários

Nelson Natalino 29.07.2004 – 16:33

Obrigado pela viagem. Viajei com vocês. Só não vi o Papa… Se ler este comment, que me abençoes também.

Beijo e baitabraço


Manoel Carlos 07.08.2004 – 05:01

Quando o papa ler isto, lembrará que repartiu toda a riqueza espiritual da igreja.
Anúncios