O meu caipira.

Nós vamos para o Brasil semana que vem. Como o Reiner vai precisar trabalhar em São Paulo na quinta e na sexta, vou visitar uma prima em São José dos Campos. Estávamos conversando sobre isto enquanto caminhávamos por Stuttgart no sábado quando o seguinte diálogo se deu:

— Acho melhor você não mencionar que você é do interior das Minas Gerais quando for de táxi do hotel (em São Paulo) até a rodoviária (do Tietê)…. Pausa… É, se não o motorista vai querer te passar a perna, você sabe, se ele descobre que você é uma caipira…

— Amor, por acaso você está me chamando de caipira?

— É querida. Você é uma caipira, fazer o que… (risos)

Pausa.

–Amor, você tem que dar graças a Deus de eu ser uma caipira. Se eu fosse chic, você acha que eu ia trabalhar com você no jardim, como hoje, trabalhar duro, pegando no batente mesmo?

— Risos

— É, por que pra agüentar um caipira, só uma caipira…

Risos.

Depois disto ele só me chama de minha caipira. E eu só o chamo de meu caipira. Meu caipira da Suábia.

Enquanto isto a ansiedade pela viagem vai aumentando a cada dia…

PS: Post originalmente publicado aqui.

Comentários

Naldy 16.08.2006 – 12:55

Bom, realmente se caipira é quem gosta de jardinagem, plantas e coisas do gênero, aí ele tem razao hahahahaha
Eu gosto, mas confesso que nao tenho mao para jardim.

Cereja.

23.06.2005 8:40h

Essa aí do lado esquerdo?

Eu comi!

img_4861b

Schlagwörter: cerja, kirschen

3 Kommentare
3 Kommentare zu “Cereja”

telma sagt:
Juni 24th, 2005 21:30 Bearbeiten

Fez muito bem!! Só que agora tem de escrever uma Crônica com C maiúsculo, descrevendo em detalhes, tintim por tintim e com adjetivos de montão que gosto tinha porque nos deixou com água na boca. É o preço que se paga por ficar provocando os amigos e “fazendo fusquinha”…
Beijocas
Antworten
Manoel Carlos sagt:
Juni 24th, 2005 23:03 Bearbeiten

Algo me diz que até pra fazer aguardente estas frutinhas servem.
Antworten
Paulinho Patriota sagt:
Juni 25th, 2005 03:47 Bearbeiten

No rocio recém-chegado,olho para estas cerejas dependuradas ao convite.

E me apetece degluti-las em forma como é ou conhecer o líquido apaziguador do qual Manoel lembrou.

Um bom sábado,Rosângela!