Ela fura um tunel.

Bem no topo da escada que leva ao quintal, ela fura um túnel.  Para que coisa poderia servir aquela escavação ? Faz bem a ela, gasta as unhas. Entretanto, suspeito que o tédio seja 0 principal motivo de tanto escavar. Não tenho dado muito atenção a ela. Os nossos passeios diários, com este calor, foram simplesmente cancelados.

As pessoas deveriam mesmo pensar duas, não, muitas vezes, antes de adotar um animalzinho de estimação.  Cachorro, por exemplo, quer ganhar carinho, passear todo dia, de preferência duas vezes ao dia. Sem contar o óbvio: higiene, alimentação, água.  Aqui em casa é uma briga cerrada. Eu sou a favor de só dar ração a ela. O Reiner gosta de oferecer as coisas gostosas, que ele sabe,  ela vai adorar do que sobra do prato dele.  Hoje eu fui lá comprar ração pra ela.  Um rapaz me orientou muito bem em qual a ração deveria levar, já que eu gosto de variar – claro que tentando agradar a bichinha.  E os alimentos humanos? Proibidos. Como eu já sabia. Trouxe algumas outras coisas gostosas para misturar à ração dela e torná-la mais atraente. E uma recomendação:  dar água gelada. Com este calor, seria necessário. Gelo eu já dou e ela gosta

Quanto ao túnel, eu tento fazê-la entender, que cavar um passagem para a China não é uma boa ideia.  Lá ela poderia virar comida de gente. Quando aponto o buraco ela me olha de volta, encabulada.  Mas não dá à mínima para o meu conselho. Oh vidinha entediante, com estes humanos sem graça. O máximo que ela ganha é um ou dois cafunés por dia. Colo? Nunca. Ela é muito grande pra ganhar colo.

DSC04823-001

Anúncios

O que me encanta nela.

Uma coisa que me encanta nesta minha florzinha linda, dócil e companheira, é que ela come frutas. Eu nem imaginava que cachorros comem frutas. Isto não foi a única coisa que aprendi sobre cachorros com esta minha florzinha querida. DSC04618

Neste caso, fica bem claro que ela não gostou da romã. DSC04619

Mas ela experimenta tudo.

 

Lendo blogs

Desde que voltei a escrever aqui eu peguei o costume de dar uma olhada em conteúdo novo de outros blogs aqui do WordPress. Tem uma opção na área principal: Freshly Pressed

Tenho lido coisas bem interessante, todos em inglês:

O Eunuco

As Testemunhas de Jeová  – Eu deixei duas pessoas dos Testemunhas de Jeová entrar em casa pra falar comigo uma vez. Mas o meu encontro não foi, nem de longe, tão interessante quanto este narrado neste post.

Pain-Envy and other affliction of the Fauxletariat.

Cervejaria

Uma das poucas coisas que tem pra fazer aqui no interior. A cervejaria artesanal da cidade.

Adoramos. Todos os sábados, ou quase todos, estamos lá. Está cada vez mais difícil de conseguir mesa. O jeito é arranjar um lugarzinho debaixo das árvores.

DSC05007

Pimenta

Aqui eu tenho uma horta e cultivo a mesma pimenta que cultivava na Alemanha. Trouxe sementes das que plantava lá. Não sei o nome, mas é de longe a minha preferida. Já fiz uma coleta este ano.

DSC04855

Kiara

DSC04377Assim se passaram três anos e meio desde que abandonei o Iliquido. Parece muito mais. Sinto-me enferrujada.

Tentei escrever por aí, mas não vingou. Não, eu não prefiro o Facebook. Eu prefiro a meia anonimidade que o blog me dá. Muitos me conhecem, sabem quem sou, mas ainda assim tem ainda um tico de anonimidade.

A verdade que eu me assustei com a visibilidade na mídia que, de repente, o blog ganhava. O número de visitas se assustou. Eu sou do signo chinês do porco, gente. Eu gosto de observar, mas não gosto de ser observada muito de perto. Por isto também, encaro o Face como um portal pra troca de interesses. O que eu vi por aí. Um pouquinho do que li na rede. Isto é o que mais publico por lá.

E no iliquido? Bem, eu falava de mim. Quem se interessa? Era a pergunta que sempre fazia. E eu, na verdade,  falava bem pouco de mim.  Quem me conhece pessoalmente sabe que eu não mencionava muitos detalhes da minha vida pessoal. No entanto, aparecia muito de mim através do que escrevia, das fotos que publicava. Muito do meu mundo interior. Confesso que não falei muito dos meus defeitos. Quem é que se enxerga tão perfeitamente a ponto de fazer um retrato fiel de si mesmo?

Parece que alguns vínculos que fazemos permanecem. Assim é na vida, assim é também por aqui. Por isto estou tentada de novo a voltar a escrever por aqui. sinto muito falta deste espaço. Sempre senti.  :)

Neste meio tempo mudei-me de volta pro Brasil e tenho uma cachorra: Kiara.

Por hoje é só.